Tuesday, April 20, 2004

CD: The Light - Spock's Beard

Eis uma banda meio injustiçada quando o assunto é um rock progressivo bem eclético. Fui saber dela em 2000, quando estavam lançando seu famoso "V", e desde então, venho acompanhando as façanhas desses talentosíssimos músicos. Suas influências vão desde progressivo a lá Genesis da primeira era (principalmente), Yes, Pink Floyd, ELP, entre outras, até Led Zeppelin, também passando por outros estilos músicais, como jazz, country, clássico, música latina e o que mais cair legal no seu som. É claro que ainda não podemos considerar essa banda como lenda do progressivo, porém, na minha opinião, é uma forte candidata a figurar ao lado de lendas como Yes, ELP, Pink Floyd e outras.

Em 1995 os caras surgiam no cenário com Neal Morse comandando voz, teclados, mellotron e algumas guitarras, seu irmão Alan Morse comandando guitarras elétricas, acústicas e mellotron, Dave Meros no baixo e trompa francesa (???) e Nick D'Virgilio na bateria e percurssão em geral, com um verdadeiro petardo, The Light, para mim, um verdadeiro clássico da banda em seus fantásticos quase 60 minutos de duração. Ele é composto de dois épicos e duas faixas individuais.

Vamos falar de "The Light", épico que abre o disco. Clássico! É, com certeza, como podemos nos referir a esta extraordinária peça. E, ao mesmo tempo, é a prova cabal da genialidade de Neal Morse. Destaque para a bonita introdução em "The Dream" que culmina com uma ótima performance em "One Man", seguindo com a calma "Garden People" e a animada "Looking Straight Into The Light". "The Man In The Mountain" já começa a apontar outras influências musicais da banda, como a música clássica e a música latina, mas a latinidade vai se mostrar fortemente presente mesmo em "Senor Valasco's Mystic Voodoo Love Dance". O que um Carlos Santana da vida (em sua boa época) não faz pelo povo latino? A peça finaliza de maneira genial, com a épica "The Return Of The Horrible Catfish Man" (talvez uma referência à genesiana "The Return of the Giant Hogweed")  e novamente cai na bela introdução "The Dream", finalizando um maravilhoso e já clássico épico da banda!

"Go The Way You Go" é, desde já um clássico da banda. Uma introdução épica, seguida com uma harmonização fora dos padrões dá início à essa belíssima canção, culminando com belos arranjos e também enfatizando a faceta pop da banda. Também encontra-se várias citações jazzísticas nos teclados de Neal, aliás com excelentes arranjos, muito bem colocados e construídos. Nada além de um clássico!

O segundo épico do disco, "The Water", claramente influenciado pela magnífica Dark Side Of The Moon, do Pink Floyd, conta uma história interessante sobre perdas e danos, sobre querer ser um vencedor, um comandante, estar sempre no topo, e como podemos normalmente reagir se de repente perdemos tudo isso. Ela começa com uma intro clássica e muito bonita, seguindo na épica "The Water". Destaque para a bluesy e funky "When It All Goes To Hell", com passagens interessantes de teclados, guitarra e mellotron. A seguir a introspectiva "A Thief In The Night" e a agressiva "FU / I'm Sorry", incluíndo vocais soul femininos belíssimos, lembrando "The Great Gig In The Sky" do Pink Floyd. Novamente volta em "The Water" e termina com as excelentes "Runnin' The Race", uma clara releitura de "When It All Goes To Hell" e a maravilhosa "Reach For The Sky", lembrando muito "Eclipse" do Pink Floyd, novamente com vocais soul maravilhosos. Em resumo, podemos dizer que essa é a Dark Side Of The Moon do Spock's Beard.

O disco termina com On the Edge, ótima faixa individual que reúne as melhores características de um Gênesis na sua fase progressiva, excelente faixa, terminando assim um clássico da banda.

Para aqueles que não conhecem a banda, ou que pensam que o rock progressivo atual se resume a Dream Theater, aconselho e muito ir atrás dessa banda, e especialmente desse disco, um dos primeiros dos muitos clássicos que a banda viria a fazer.

Curiosidade: o nome Spock's Beard vem de umas viagens de Neal e Al em suas loucas noites afora, em torno de 1989, 1990. Com certeza estavam meio chapados, pois comentavam sobre a noite ter sido tão boa que pareciam estar em um universo paralelo. Al ainda diz: "é como se Dr. Spock tivesse uma barba (beard)! Spock's Beard! Esse não seria um nome engraçado para uma banda?"

The Light (1995)
(Spock's Beard)
Nota: 10 / 10

Tracklist:
01. The Light
        i: The Dream
        ii: One Man
        iii: Garden People
        iv: Looking Straight Into The Light
        v: The Man In The Mountain
        vi: Senor Valasco's Mystic Voodoo Love Dance
        vii: The Return Of The Horrible Catfish Man
        viii: The Dream
02. Go The Way You Go
03. The Water
        i: Introduction / The Water 
        ii: When It All Goes To Hell
        iii: A Thief In The Night
        iv: FU / I'm Sorry
        v: The Water (revisited)
        vi: Runnin' The Race
        vii: Reach For The Sky
04. On The Edge

Selos: Metal Blade, Radiant Records, Giant Electric Pea

Spock's Beard é:
Neal Morse: voz principal, teclado e violão
Alan Morse: guitarra, voz
Dave Meros: baixo
Nick D'Virgilio: bateria, voz

Discografia:
The First Twenty Years (2015) - compilação
- The Oblivion Particle (2015)
- Brief Nocturnes and Dreamless Sleep (2013)
- X (2010)
- Spock's Beard (2006)
- Octane (2005)
- Feel Euphoria (2003)
Don't Try This At Home & The Making Of V (2002) - DVD
- Snow (2002)
- V (2000)
- Day for Night (1999)
- The Kindness of Strangers (1998)
- Beware of Darkness (1996)
The Light (1995)

Site oficial: www.spocksbeard.com

No comments:

Post a Comment