Thursday, April 22, 2004

CD: Beware of Darkness - Spock's Beard

Com o sucesso de The Light, o Spock's Beard volta no ano seguinte após seu debut com mais um disco e novamente acertam. E Neal ainda teve tempo de arranjar mais um companheiro de viagem à bordo da nave do Spock's Beard, Mr. Ryo Okumoto (lê-se "Okimuto") comandando as partes de órgão Hammond. E o cara já dá seu recado na sua estréia na banda, mostrando suas fortes influências de Keith Emerson, dando aquele toque mais orquestral e clássico que a banda precisava, a banda também viajou mais nos arranjos e melodias, soando mais forte, experimentando mais, porém com poucas oportunidades de criar épicos neste segundo álbum, no máximo três composições "um pouco" maiores que as demais. Neal como sempre, um maestro da composição, mostrando porque viria a ser aclamado como um dos mais profílicos compositores de prog dos dias atuais.

O disco abre com uma regravação de "Beware Of Darkness", música de George Harrison, que acaba virando uma espécie de Rush visita King Crimson, com bastante andamentos cortados e passagens fora dos padrões, com belas melodias e excelentes solos individuais de Alan e Ryo, lembrando um Yes na sua fase anos 70, até mesmo um pouco no timbre dos instrumentos, tudo isso a partir de uma idéia melódica simples do ex-Beatle. E por falar em passagens fora dos padrões, "Thoughts" com certeza é a mais experimental do disco, com interessante coro de vozes. A seguir, uma belíssima introdução clássica de Neal ao piano abre para a excelente "The Doorway", em seus 11 minutos e meio de belas passagens de violão e piano a lá Yes por Neal e Alan, nascendo assim mais um clássico da banda.

Ainda Alan Morse consegue brilhar com uma belíssima performance instrumental ao violão em "Chatauqua", daquelas de arrancar lágrimas! Após este maravilhoso instrumental ao violão, os caras descem a lenha novamente com "Walking On The Wind", mais uma performance épica e inspiradíssima desses fantásticos músicos, seguida pela divertida "Waste Away", também com leves traços pop. O mais genial dessa banda, e em especial de Neal, é que eles mostram que o pop realmente é um estilo que deve ser bem trabalhado e explorado, e não jogado nas mãos de amadores ou gente sem talento como a mídia faz.

O disco na versão ocidental termina com "Time Has Come", uma excelente e épica música de 16 minutos e meio, com maravilhosas passagens progressivas e clássicas, com a mais variadas influências do quinteto, ora lembrando King Crimson, com os riffs de Alan lembrando muito as passagens de um Robert Fripp, ora lembrando ELP e ora remetendo ao som profundo e alucinante de um Pink Floyd, também com cada músico dando o seu toque pessoal, conseguindo assim criar mais um longo clássico. A versão japonesa do disco ainda contém uma boa performance ao vivo de "On The Edge", diretamente retirada do "The Official Live Bootleg", já apresentando Ryo, o novo membro da banda.

Beware of Darkness (1996)
(Spock's Beard)
Nota: 9 / 10

Tracklist:
01. Beware of Darkness (George Harrison)
02. Thoughts
03. The Doorway
04. Chatauqua
05. Walking on The Wind
06. Waste Away
07. Time Has Come
Bonus da versão japonesa:
08. On the Edge (live)

Selos: Giant Electric Pea, Metal Blade, Radiant Records

Spock's Beard é:
Neal Morse: voz principal, teclado e violão
Alan Morse: guitarra, voz
Dave Meros: baixo
Ryo Okumoto: órgão hammond e mellotron
Nick D'Virgilio: bateria, voz

Discografia:
The First Twenty Years (2015) - compilação
The Oblivion Particle (2015)
Brief Nocturnes and Dreamless Sleep (2013)
- X (2010)
- Spock's Beard (2006)
- Octane (2005)
- Feel Euphoria (2003)
Don't Try This At Home & The Making Of V (2002) - DVD
- Snow (2002)
- V (2000)
- Day for Night (1999)
- The Kindness of Strangers (1998)
- Beware of Darkness (1996)
The Light (1995)

Site oficial: www.spocksbeard.com

No comments:

Post a Comment