Monday, December 5, 2016

MATÉRIA: Filmes de HQs de 2016: o veredito

CHEGOU A HORA! A hora da controvérsia, da sacanagem, do quebra-pau, do toma lá, dá cá! Brincadeira! Mas enfim, chegou a hora de eu avaliar todos os filmes de quadrinhos que passaram nos cinemas em 2016! Olha, em termos de quantidade, foi mesmo um bom ano! Nunca vi um ano tão recheado de filmes de quadrinhos! 12 filmes, ao todo, entre animações e live actions! Vamos a eles!

Só lembrando aqui vocês, que querem quebrar a minha cara depois de ver minhas posições para os filmes, que se trata da minha opinião. Ok? Faz a tua lista aí, camarada! Eu vou lançar aqui a minha. Como vocês sabem, sou fissurado por filmes de HQs, então eu faço questão de acompanhar este mercado, que hoje em dia é tão produtivo. Entre filmes bons, e outros mais ou menos, e ainda outros bem ruins, é bem legal a gente ter uma produção tão vasta do gênero. Quisera eu que todos fossem bons, mas a gente não pode fazer milagres também, hehe! Cada um tem a sua ideia pessoal de como encarar essa mídia, a 9ª arte, então, visões diferentes podem aparecer por aí.

Sendo assim, e adiantando mais uma vez que eu adoro ordem decrescente, vamos avaliar comigo todos os 12 filmes que aconteceram em 2016. Aí vão eles!

           (Batman Sem Limites: Mechas vs. Mutantes)

Nota: 3 / 10

Chegando na rabichola da lista, em último e merecido lugar, esta bosta de vitrine de brinquedos para crianças, sem substância alguma e sem apelo, a não ser visual. Eita filminho sem-vergonha! Confira minha resenha clicando aí no link do título. Nem vou falar mais nada, melhor esquecer este que é, sem dúvidas, o pior filme de HQs de 2016. Sigamos adiante.


11º Teenage Mutant Ninja Turtles: Out of the Shadows
             (As Tartarugas Ninja: Fora das Sombras)

Nota: 4,5 / 10

Próximo, o filme das saudosas Tartarugas Ninja, aquelas que costumávamos ver na TV, em vibrantes cores, batalhas, enfim... bem... viraram essa budega de produção a lá Michael Besta, ou como diz um amigo meu, Miguel Baía. Santa tartaruga! E ainda consegue uma posição maior do que a animação anterior do Batman. Nem vou falar nada, melhor ir para o próximo.


10º Batman V Superman: Dawn of Justice
            (Batman vs Supeman: A Origem da Justiça)

Nota: 7 / 10

Pois bem, a décima posição fica ocupada, infelizmente, por um dos filmes mais aguardados do ano. Os dois heróis haviam se encontrado inúmeras vezes nas HQs e animações da DC, mas em live action, é a primeira vez. Pena que não foi tudo aquilo que nós esperávamos. A versão aumentada é um pouco melhor, mas ainda continua tendo bastante erros perpetrados pela versão cinemática, o que não melhora sua colocação.


 X-Men: Apocalypse
       (X-Men: Apocalipse)

Nota: 8 / 10

Próxima posição fica com o novo filme dos mutantes. Foi um filme divertido em muitos aspectos, muito embora não seja tão bom quanto o anterior, Days Of Future Past. Tem seus acertos e seus pontos a melhorar, mas no geral, foi divertido. Eu só esperava ver mais o Logan neste filme, mas 2017 está aí e teremos um filme só dele.



 Batman: Return of the Caped Crusaders
       (Batman: O Retorno da Dupla Dinâmica)

Nota: 8 / 10

É como eu falei na resenha do filme, não é o meu Batman favorito, mas eu respeito o trabalho que foi feito aqui, afinal de contas, trata-se de uma homenagem sincera a algo que os produtores e fãs da série sessentista ainda tem em seus corações. Bom filme, quem for fã do Batman de West, deve assistir esta animação.


 Batman: Bad Blood
        (Batman: Sangue Ruim)

Nota: 8 / 10

Como eu disse na minha resenha, um filme interessante focando mais a bat-família e menos o Batman, pareceu muito com uma edição da revista A Sombra do Batman, e também traz para o mix o personagem Batwing, o que achei bem bacana. Porém, eu espero que numa próxima animação do morcego, eles foquem mais nele mesmo. De qualquer forma, recomendo.


 Captain America: Civil War
        (Capitão América: Guerra Civil)

Nota: 8,5 / 10

Próximo, nós temos o terceiro filme de tretas de 2016, e que foi um filme bastante divertido; teve uma trama típica da Marvel Studios, e aquele humor conhecido e outras boas surpresas, como a treta de times entre o do Capitão e o time do Stark, mais a primeira aparição do Homem Aranha neste universo. Foi algo bastante divertido de ver na tela grande e cheio daquela atmosfera dos quadrinhos, ganhando então a sexta posição aqui.



 Doctor Strange
        (Doutor Estranho)

Nota: 8,5 / 10

O último filme novo de quadrinhos que assisti em 2016 fez bonito, apesar de uma coisinha ou outra. De qualquer forma, a Marvel segue expadindo seu universo cinemático e agora acrescenta o Doutor Strange na lista de seus heróis de forma muito bacana. Um dos melhores filmes do MCU e merecedor do quinto lugar aqui na lista.



 Justice League vs Teen Titans
        (Liga da Justiça vs. Jovens Titãs)

Nota: 8,5 / 10

Uma das novas animações que saiu este ano do selo DCUAOM, desta vez com os Jovens Titãs. História bacana, e que reuniu drama, humor e ação, e ainda preparou terreno para a animação do ano que vem, que será baseada em um arco de histórias da equipe chamado The Judas Contract. O título, pegando a onda das tretas deste ano, ficou um pouco torto, por razões que eu já expliquei na resenha, mas mesmo assim, ótimo filme.



 Suicide Squad
        (Esquadrão Suicida)

Nota: 8,5 / 10

Este foi o grande acerto da DC no seu universo estendido este ano, o filme que apresenta ao público o Esquadrão Suicida. Filme bacana, divertido, com aquele toque de humor que estava faltando para o DCEU e que representa bem os personagens dos quadrinhos; não tão bem quanto as animações, mas o resultado é impressionante, e por isso merece figurar aqui em terceiro lugar na minha contagem dos melhores.



 Batman: The Killing Joke
        (Batman: A Piada Mortal)

Nota: 9 / 10

O segundo lugar fica por conta da adaptação da famosa HQ de Alan Moore, The Killing Joke. Houve muita controvérsia em relação ao prólogo da animação, especialmente em relação a um certo "envolvimento" do morcego com a Batgirl, mas na minha resenha, eu expliquei as razões para levar em conta esta narrativa; a adaptação em si também ficou primorosa, e por isso, mereceu aqui o segundo lugar.


 Deadpool
        (Deadpool)

Nota: 10 / 10

E para fechar, tivemos o sensacional, o engraçadíssimo, o belo, o gostoso, o sacana, o ... o... ahh, vocês sacaram, o filme do Deadpool! Eu nunca esqueço no cinema, minha esposa e meu irmão, todos nós assistindo, achei que a gente ia ser expulso do cinema, pois foi difícil conter as gargalhadas! O mercenário tagarela ficou muito bem representado na tela, corrigindo com primor, um erro que o universo da Marvel/Fox havia cometido lá atrás no primeiro filme solo do Wolverine. História bacana, piadas ótimas, aquele clima puro de HQ, curtição, tudo que o fã do Deadpool tem direito está lá. É, com certeza, o melhor filme de quadrinhos de 2016, e nenhum outro filme iria mesmo tirar esta colocação do Deadpool. No fim das contas, meus queridos, venceu o poder magnânimo da Z-O-E-I-R-A! Tic tic ahh!!

Vamos então a umas considerações finais: por que raios Deadpool venceu? Tem muita gente se fazendo essa pergunta, não é mesmo?

As justificativas de quem discorda são várias:

- "Ah, mas Batman V Superman teve uma treta bacana e várias referências!";
- "Ah, mas Civil War teve uma treta monstro de herói e o Homem Aranha!";

Bom, eu vou dizer o porquê. Deadpool foi um dos poucos filmes de HQ do ano que se preocupou em evitar algo que outros filmes, sejam de animação, sejam em live-action, fizeram em um nível ou outro: ser uma obra que não se sustenta por si mesma. Isso significa que Deadpool se preocupou com ele mesmo, mais nada.

Seja de um lado, seja do outro, e principalmente do lado da Distinta Concorrência do tio Lee, muitos desses filmes não se preocupavam em contar sua própria história e mais nada. Veja, uma dos maiores problemas com os filmes de quadrinhos hoje em dia, é que eles tem essa necessidade esdrúxula de ficar abrindo janelas para histórias posteriores, ou fugindo de sua própria narrativa para ficar apresentando algo que vem depois. Não se preocupam em ser apenas um filme legal que a gente pode curtir e pronto, acabou, ao invés disso, tem que ser um portal para apresentar histórias futuras que nem aconteceram ainda. E isso fica irritante com o tempo, parece que o filme encheu o saco de si mesmo. Se fosse uma vez ou outra, pra dar aquela diferenciada, aquela quebra de paradigma, tudo bem, mas se tornou uma constante.

Deadpool fugiu dessa mania. Veja só, em Batman V Superman, você tem várias tramas maçarocadas, você tem a apresentação do novo Batman, a continuação de Man of Steel, a treta entre os dois heróis, a apresentação da Mulher Maravilha, a apresentação de outros heróis que irão aparecer bem mais tarde, a origem da Liga da Justiça... UFA! É muita coisa para um filme só! Batman V Superman se preocupou tanto em apresentar tramas futuras, que esqueceu de se focar somente em contar sua própria história, e foi por isso que o filme decepcionou tanta gente. Você assiste a coisa e não sente vontade de voltar para ver mais, você se cansa com tanta coisa que ainda nem apareceu. Só quem conhece esse universo vai curtir isso, mas quem não faz a menor ideia do que está se passando ali, vai achar uma verdadeira bagunça e ficará desmotivado a voltar para mais.

Deadpool foi seu próprio filme, com sua própria história, e pronto, mais nada! Se focou unicamente nele mesmo, sem se preocupar se era parte do universo dos X-Men, ou se ia ter isso ou aquilo depois... não, o filme vinga por mostrar somente a história dele e pronto, tá muito bom. Você pode nem ter visto os outros filmes dos X-Men, mas você certamente vai ver o filme, gostar dele, voltar a ver, gostar de novo, e voltar no futuro para ver mais coisas. Olha só a cena pós-créditos, por exemplo, o Deadpool vem de pijama na nossa frente dizer "ah, vocês esperavam a deixa para o próximo filme? Esqueçam, não temos dinheiro pra isso! Vão pra casa, vão!" De forma bem humorada, Deadpool endereça o principal problema com os filmes de HQs hoje em dia!

E teve outra razão que fez o filme vingar, antes de eu encerrar: o humor. Não é como o humor da Marvel Studios, que geralmente atira para todos os lados, nem é carrancudo como tem sido os filmes da DC antes de Suicide Squad. É um humor inteligente, com timing perfeito, e que traz de volta aquela vibração, aquela sensação de estarmos nos divertindo de fato, sem falsa modéstia, um humor sincero. Deadpool traz de volta aos filmes de HQ, esse elemento das HQs, a sensação de não se levar tão a sério, ou no caso do filme, não se levar a sério de forma alguma. E é por isso que ele leva a estatueta de melhor filme de HQs de 2016! Enquanto os outros filmes ficavam nessa de treta pra lá, treta pra cá, Deadpool ficou quieto no cantinho dele, só faturando!

Não concordou com alguma coisa? Posta aí sua lista, rapaz! Escreva nos comentários, dê sua opinião. Esta lista é a minha opinião. De qualquer forma, foi um ano produtivo para os filmes baseados em HQs, e ano que vem, promete também, já que teremos filmes esperadíssimos, como Logan, Wonder Woman, Spider-Man: Home Coming, Justice League: Part 1, Justice League Dark, entre outros mais. Até lá!

No comments:

Post a Comment